FONEMAS



São as menores unidades sonoras da fala. Articulados e combinados, os fonemas formam as sílabas e as palavras,  na comunicação oral.
A produção dos fonemas ocorre pela modificação da corrente de ar vinda dos pulmões.

TRANSCRIÇÃO FONÉTICA E FONOLÓGICA

Na língua escrita os fonemas são representados por sinais gráficos, chamados letras. O conjunto das letras denomina-se alfabeto.
O alfabeto da Língua Portuguesa compõe-se  de  vinte  e três letras: a, b, c, d, e, f, g, h, i, j, l, m, n, o, p, q, r, s, t, u, v, x, z.
Além dessas, existem ainda  as letras  k, w  e  y,  que  não pertencem ao nosso alfabeto, mas são utilizadas em algumas palavras.
É importante não confundir letra com fonema.  Fonema é  som, letra e uma representação gráfica e visual do som (fonema).

DIFERENÇA ENTRE LETRA E FONEMA:

1) A mesma letra pode representar fonemas  diferentes: enxame, xale, próximo, sexo; cola,cera.

2) O mesmo fonema pode  ser representado por letras diferentes: casa, exílio, cozinha; tigela, laje.

3) Um fonema pode ser representado por um grupo de duas letras (dígrafos): machado, mulher, unha, missa ,carro.
           
4) A letra x pode representar, ao mesmo tempo, dois  fonemas diferentes: táxi(tácsi), fixo(ficso), tórax(tóracsi).

5) Há letras que, às  vezes, não  representam  fonemas; funcionam apenas como notações léxicas: campo (cãpo), regue (não se pronuncia o u).

6) Usam-se letras simplesmente decorativas, não representam fonemas nem funcionam como notações  léxicas:  hotel (otel), discípulo(dicípulo), quina(kina).

Para simbolizar na escrita a pronúncia real de um  som usa-se um alfabeto especial, oalfabeto fonético.
Os sinais fonéticos são colocados entre colchetes:[ ].
Exemplo: [õbru] - ombro
Os fonemas transcrevem-se entre barras oblíquas: //.
Exemplo: /õ/,/b/, /r/, /u/
                  
CLASSIFICACÃO DOS FONEMAS

Os fonemas se classificam em vogais, consoantes e semivogais.
1) Vogais - são fonemas sonoros, que se  reproduzem pelo livre escapamento de ar pela boca,  produzido pelos  pulmões.
As vogais são produzidas pelo  diferente  posicionamento dos músculos que delimitam a boca: a língua, os lábios e  o véu palatino.
Ao estudar a classificação das vogais, consoantes e semivogais experimente pronunciá-las em voz alta e perceba a reação dos músculos que delimitam a boca.
           
CLASSIFICAÇÃO DAS VOGAIS

As vogais são classificadas de acordo com quatro critérios:

a) ZONA DE ARTICULAÇÃO
    - anteriores (palatais)
    - posteriores (velares)
    - médias (centrais)

b) TIMBRE
    - abertas
    - fechadas

c) CAVIDADES BUCAL E NASAL
    - oral
    - nasal

d) INTENSIDADE
    - alta
    - média
    - baixa

A zona de articulação é a parte em que acontece o  contato dos órgãos que colaboram para a produção dos fonemas.  No caso das vogais, a língua e o palato duro (céu da boca).
Quanto à zona de articulação as vogais podem ser:
- ANTERIORES (PALATAIS) - são  produzidas  com  o fechamento dos lábios e a elevação da língua em direção  ao palato duro (céu da boca): /é/, /ê/ e /i/;

- POSTERIORES (VELARES) -  são  produzidas  com   o  arredondamento dos lábios e a elevação da  língua  em   direção ao palato mole (véu palatino): /ó/, /ô/ e /u/;

- MÉDIAS (CENTRAIS) - são produzidas  com   os lábios abertos e a língua fica em repouso: /a/.

           
O timbre é a qualidade física do som. O  timbre das vogais resulta da maior ou menor abertura da boca.

Quanto ao timbre as vogais podem ser:
- ABERTAS - A abertura da boca é máxima: /a/, /é/, /ó/;
- FECHADAS - A abertura da boca  é  mínima:  /ê/,  /ô/, /i/ e /u/.

Quanto a cavidade bucal e nasal as vogais  podem  ser:
- ORAIS - A corrente de ar vibrante passa  apenas pela cavidade bucal: /a/, /é/, /ê/, /ó/, /ô/, /i/e /u/;

- NASAIS - A corrente de ar passa  pela cavidade  bucal  e  nasal: /ã/, /~e/, /~i/, /õ/ e /~u/.

 ATENÇÃO!        
 Ao til que antecede as letras e, i, e u, pois não foi possível colocá-los no lugar correto, que deveria ser em cima das mesmas.  Fique atento pois poderá haver casos semelhantes.                                                                                                                                         

OBSERVAÇÃO:  A  nasalidade  também pode  ser  representada  pelas letras “m” e “n”.
Ex:. campo = ã
       canto = ã    
           
A intensidade acontece quanto ocorre a elevação  da região mais alta da língua.
Quanto à intensidade as vogais podem ser:
- ALTAS - A elevação da língua é máxima em direção ao céu da boca: /i/, /~i/, /u/ e /~u/;

- MÉDIAS - A elevação da língua é média em direção ao céu da boca: /e/, /~e/, /é/, /o/, /õ/ e /ó/;           
                       
- BAIXAS - A elevação da língua é mínima em direção ao céu da boca: /a/ e /ã/.

As Consoantes são fonemas resultantes de  um fechamento momentâneo ou de  um estreitamento do canal bucal,  que, em qualquer de seus pontos, ofereça obstáculos à saída da corrente de ar, sonorizadas ou não pela  vibração das cordas vocais.

CLASSIFICAÇÃO DAS CONSOANTES

As consoantes são classificadas de  acordo com quatro critérios:

a) MODO DE ARTICULAÇÃO
- oclusivas
- construtivas
  * fricativas
  * laterais
  * vibrantes

b) PONTO DE ARTICULAÇÃO
- bilabiais
- labiodentais
- linguodentais
- alveolares
- palatais
- velares

c) FUNÇÃO DAS CORDAS VOCAIS
- surdas
- sonoras

d) FUNÇÃO DAS CAVIDADES BUCAL E NASAL
- oral
- nasal
     
O modo de articulação das consoantes não se  faz, como a das vogais, com a passagem livre do ar   através  da cavidade bucal. Ao passar pela cavidade bucal o ar   encontrará um obstáculo total ou parcial. Se for total,   a  consoante será oclusiva, se for parcial  será constritiva.  As constritivas podem ser  fricativas (são  aquelas  em  que  a passagem de ar ocorre através de uma estreita fenda encontrada no meio da via bucal), laterais (são aquelas em que o ar passa pelos  lados da cavidade bucal, por conseqüência de um obstáculo encontrado no centro  da  mesma), e vibrantes (são aquelas que se caracterizam pelo movimento vibratório da língua ou do véu palatino).

São oclusivas as consoantes /p/, /b/, /t/, /d/, /k/,/g/.
           
São contritivas fricativas as  consoantes  /f /,   /v/,
/s/, /z/, /j/.

São constritivas laterais as consoantes /l/, /lh/.

São constritivas vibrantes as consoantes /r/, /rr/.


O ponto de articulação diz  respeito ao local  da  cavidade bucal em que se localiza o  obstáculo(total ou parcial)
necessário à articuluação das consoantes.  Seguindo o  ponto de articulação as consoantes  classificam-se em:

- BILABIAIS: /p/, /b/, /m/ - ocorre quando o lábio superior entra em contato com o lábio inferior.

- LABIODENTAIS: /f/, /v/ -  ocorre quando o lábio inferior toca os dentes incisivos superiores.

- LINGUODENTAIS: /d/, /t/, /n/ - ocorre quando a língua toca a face interna dos dentes incisivos superiores.

- ALVEOLARES: /s/, /z/, /l/, /r/ -   ocorre   quando   a língua toca os alvéolos dos dentes incisivos superiores.

- PALATAIS: /x/, /j/, /lh/, /nh/ -  ocorre quando o dorso da língua toca o céu da boca.

- VELARES: /k/, /g/, /rr/ - ocorre quando a parte superior da língua toca o véu palatino.

                                                                                    
As cordas vocais têm a função de verificar se ocorre ou não vibração das mesmas. Quando ocorre vibração a consoante é sonora: /b/, /d/, /g/, /v/, /z/, /j/, /l/, /lh/,/r/, /rr/, /m/, /n/, /nh/; se não ocorre, a  consoante  é surda: /p/, /t/, /k/, /f/, /s/, /x/.
Enquanto as vogais  são sempre  sonoras,  as  consoantes
podem ser ou não produzidas  com a  vibração  das cordas vocais.               
         
         
CAVIDADE BUCAL OU NASAL - Como as vogais, as consoantes podem ser orais ou nasais, ou seja, a corrente de  ar pode passar apenas pela cavidade bucal, ou ressoar na cavidade nasal, caso encontre abaixo o véu palatino.                                                                                

         
3) Semivogal é o nome que se dá aos fonemas “i” e “u” quando, junto de uma vogal, formam com ela uma só sílaba.    As semivogais nunca funcionam como base de sílaba  e  não são pronunciadas com a mesma intensidade que a  vogal,  ou seja, o som é um pouco mais fraco.
Há casos em que a semivogal pode ser representada pelas letras “e” e “o”.

E aí, gostou da dica?
Se gostou, compartilhe com os amigos!
Se tiver alguma dúvida, deixe um comentário.

Caso queira fazer referência ao texto em um trabalho escolar ou acadêmico, copie os dados abaixo:

2 comentários:

  1. Oi Valéria, interessante saber mais sobre os fonemas!

    Super obrigada pelo comentário carinhoso lá no blog, espero que o post sobre Mídia Kit te ajude! Um beijo :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila! Eu que agradeço pela visita e comentário. Ajudou muito.
      Engraçado que hoje fiz uma postagem comentando sobre um curso que fiz e como estou me organizando com o blog e lá estão os planners que disponibilizou no "Não me mande flores". Adorei!!
      Um mega beijo!!!

      Excluir

Deixe seu comentário!

Digite o que procura!

Penso assim...

♥♥ Não importa onde esteja ou para onde vá. Seja original! crie sua própria identidade!! Existe um artista dentro de você. Use meus textos e desenhos como fonte de inspiração, porque um artista inspira o outro. Aqui tem um pouquinho, mas só um pouquinho do meu mundo, portanto, espero que sirva de inspiração e lhe dê o impulso que talvez esteja precisando. ♥♥

Importante!!

Muitas fotos são retiradas da Internet. Se você detém algum direito autoral sobre algum material, entre em contato comigo, eu o removerei ou colocarei os devidos créditos. Obrigada! A violação do direito autoral é crime. A reprodução do material disponibilizado neste site está condicionada à autorização, sendo proibido o seu uso para fins comerciais.
Valéria Araujo - Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.