29 julho, 2016

O DIÁRIO DE UM MAGO - RESENHA

Passei anos da minha vida sem ler nada de Paulo Coelho. Nunca tive nem curiosidade. Mas depois que decidi que queria ser escritora, achei por bem ler o primeiro livro de alguns autores de sucesso e fiz isso com vários. Alguns já tinha lidos vários livros, porém não o primeiro, como é o caso de Nicholas Sparks, que sou fã. Mas comprei também o primeiro que ele publicou e comecei a minha maratona de leitora dos primeiros livros de escritores famosos.

Hoje vou escrever sobre o livro “Diário de um mago” do Paulo Coelho.


Antes de comprar o livro, não poderia imaginar que o protagonista do livro era o próprio Paulo coelho.

O diário de um mago é o relato da peregrinação feita por Paulo Coelho em 1986 pel Caminho de Santiago. Motivado por sua profunda ambição espiritual e pelo desejo de se tornar escritor, a travessia se transforma em algo maior do que ele imaginava.

O Caminho de Santiago de compostela, é um dos caminhos para chegar a cidade Santiago de Compostela, na região da Galícia, Espanha. Dizem que ali repousam os restos mortais de Tiago Maior, um dos doze apóstolos de Jesus. Dizem também, que ao percorrer o Caminho de Santiago como peregrino, a Igreja concede o perdão dos pecados e a indulgência plena dos pecados cometidos 


Embora um tanto fantasioso, o livro é para refletir. As conversas que Paulo Coelho tem com seu Guia Petrus é para refletir mesmo. Destaquei alguns trechos que achei maravilhosos:

" - O caminho que você está fazendo é o caminho do Poder, e só os exercícios de Poder lhe serão ensinados. A viagem, que antes era uma tortura porque você queria apenas chegar, agora começa a transformar-se em prazer, no prazer da busca e da aventura. Com isso você está alimentando uma coisa muito importante, que são seus sonhos.”

“O Bom Combate é aquele que é travado em nome de nossos sonhos. Quando eles explodem em nós com todo o seu vigor - na juventude -, nós temos muita coragem, mas ainda não aprendemos a lutar. Depois de muito esforço, terminamos aprendendo a lutar, e então já não temos a mesma coragem para combater. Por causa disso, nos voltamos contra nós e combatemos a nós mesmos, e passamos a ser nosso pior inimigo. Dizemos que nossos sonhos eram infantis, difíceis de realizar, ou fruto de nosso desconhecimento das realidades da vida. Matamos nossos sonhos porque temos medo de combater o Bom Combate.

“ - O primeiro sintoma de que estamos matando nossos sonhos é a falta de tempo…”

“ O segundo sintoma da morte de nossos sonhos são nossas certezas. Porque não queremos olhar a vida como uma grande aventura a ser vivida, passamos a nos julgar sábios, justos e corretos no pouco que pedimos da existência.”

“ Finalmente, o terceiro sintoma da morte de nossos sonhos é a paz…”

“Quando renunciamos aos nossos sonhos e encontramos a paz - disse ele depois de um tempo -, temos um pequeno período de tranquilidade. Mas os sonhos mortos começam a apodrecer dentro de nós e infestar todo o ambiente em que vivemos. Começamos a nos tornar cruéis com aqueles que nos cercam e, finalmente, passamos a dirigir essa crueldade contra nós mesmos. Surgem as doenças e as psicoses. O que queríamos evitar no combate - a decepção e a derrota - passa a ser o único legado de nossa covardia. E, um belo dia, os sonhos mortos e apodrecidos tornam o ar difícil de respirar e passamos a desejar a morte, a morte que nos livrasse de nossas certeza, de nossas ocupações e daquela terrível paz das tardes de domingo.”

Esses trechos me sacudiram, por essa razão eles estão aqui. Acredito que devemos sonhar. E teve um momento na minha vida, que me senti assim. Do jeitinho que ele descreve nos trechos acima. Vi meus sonhos morrendo e senti todos os sintomas mencionados.

Por se tratar de um livro autobiográfico não achei legal algumas coisas do tipo ele lutando com um cachorro que está possuído por um demônio entre outras coisas que você entenderá quando ler o livro. Não consigo acreditar que tal coisas aconteceram de fato. Mas o livro é bem interessante. Confesso que gostei. Gostei também da ideia de percorrer o caminho. Acho que seria uma aventura e tanta. Vou colocar na minha lista.

E aí, gostou? Se quiser percorrer esse caminho veja as 10 dicas para percorrer o caminho de Santiago de compostela no G1.

Valéria Araujo © . Design by FCD.