05 maio, 2018

DECIDI INICIAR UM COMMONPLACE BOOK


O que é  um COMMONPLACE BOOK?
Bem...
Eu não fazia ideia do que era um até iniciar uma pesquisa de como participar de um processo para o mestrado.
Para quem não sabe sou formada em Letras (Português/Literatura) desde 1992 e Fiz especialização em Literatura Brasileira e Artes. Lecionei por alguns anos, mas fui surpreendida com alguns problemas que me fizeram dar aquela desacelerada e com isso o mestrado ficou só nos meus sonhos e na minha lista de "Um dia talvez...". Agora, aos 52 anos (Nunca é tarde. Certo?), resolvi que vou começar a me preparar para essa aventura. E foi assim que conheci o COMMONPLACE BOOK.
Estava lendo um post sobre planejamento para o início do mestrado no blog Vida Organizada da Thais Godinho e, na parte de fichamento, percebi que ela faz como sempre fiz, grifando, fazendo anotações e inserindo post-its no próprio livro. Porém nunca tinha pensado em criar um índice no final. Achei a ideia muito bacana e vou adotá-la. Mas até aí tudo normal.
Mas onde entra o tal do COMMONPLACE BOOK?
Ela conta que em seus estudos alterna entre a técnica acima e o uso do COOMONPLACE BOOK, pois livros de biblioteca não podem ser grifados.

Mas o que é mesmo um COMMONPLACE BOOK?
Commonplace books são cadernos que você cria para registrar aprendizados de diversas áreas diferentes no mesmo lugar. Ou seja, são cadernos pessoais que você usa para anotar ensinamentos, trechos de livros, frases de impacto, aprendizado, insights, conhecimento em geral.


Para isso resolvi fazer meu próprio caderno. Ele tem capa dura, forrada com tecido. As folhas são pautadas e sua gramatura é 120. Escolhi essa gramatura porque gosto de desenhar e usar aquarela . Esse tipo de folha aguenta uma aquarela que não seja muito aguada. E é fato que vou querer fazer uns desenhos nele também. O miolo é costurado e colado. Tem 160 folhas (320 páginas). Na lombada coloquei um papel kraft para escrever algo que o identifique na estante. Alguma coisa do tipo: COMMONPLACE BOOK I ou MEU PRIMEIRO COMMOMPLACE BOOK
Achei melhor fazer meu próprio caderno, assim quando esse terminar posso fazer outro seguindo o mesmo padrão.

Agora vamos a maneira de como usar o COMMONPLACE BOOK.
Escolha um caderno. O ideal é que não seja tão grosso como o meu, para que seja possível levar consigo para todos os lugares. Eu não tenho essa intensão. Pois quando estou na rua, tenho por hábito anotar coisas em minhas notas no Evernote (aplicativo que você pode conhecer aqui) e depois passo para o local mais apropriado. Sempre faço assim. Desde de 2015, adquiri o hábito de manter um diário e uso dessa forma também. Ainda vou fazer um post falando sobre a importância de ter um diário. Mas não confunda o COMMONPLACE BOOK com diário. Diário são mais introspectivo. Nos diários escrevemos sobre nossos sentimentos, reações, frustrações, intimidades, examinando nosso íntimo e no COMMONPLACE BOOK não. Nele você faz registro do seu conhecimento de maneira geral em ordem cronológica. Ou seja, aprendeu algo novo, achou interessante tal conceito, gostou de um trecho de um livro, uma receita bacana, é nele que você vai escrever. 

Com caderno e caneta em mãos, abra o caderno, coloque a data e escreva. Use a criatividade para deixá-lo com a sua cara fazendo desenhos, colagens, canetas coloridas, post-its, aquarela, lápis de cor... Você pode também numerar as páginas, fazendo um índice na última página, como a Thais sugere.

Mas lembre-se!
O seu COMMONPLACE BOOK é para anotar o seu aprendizado. Não é para anotar seus sentimentos e nem o que você fez ou vai fazer naquele dia.

Por hoje é só. Mas se você gostou da postagem e quer saber um pouquinho mais sobre esse assunto ou algum outro. Deixe nos comentários logo abaixo!!

Para não perder mais nenhuma postagem do blog, receber dicas, brindes e inspirações clique aqui para se inscrever. É rapidinho e gratuito. É só colocar seu nome e e-mail.
                    

Postar um comentário

Deixe seu comentário!

Valéria Araujo © . Design by FCD.